Empresário Niteroiense cria centro esportivo e parceria com clínica médica para ajudar pessoas de baixa renda em Niterói

Projeto independente pretende abraçar mais outras nove comunidades do município até o fim de 2022.

André Felipe, de 30 anos, nasceu e foi criado no Morro da Penha em Niterói (RJ). O jovem passou por momentos delicados na vida, mas aprendeu com as dificuldades e hoje transformar sonhos em realidade, concluir obras inacabadas, entregar projetos concretizados à população da comunidade onde cresceu e garantir que tenham acessos a direitos básicos tem sido a sua trajetória.

Sócio Fundador do grupo AtomX Capital, André Felipe dará início no dia 05 de fevereiro ao plano audacioso de transformar a vida de crianças e adolescentes, a fim de que tenham mais oportunidades de aprendizado por meio do esporte. Tendo como ponto de partida a inauguração oficial do Centro Esportivo Renan Rodrigues, que além de fazer homenagem a um já falecido amigo de infância do empresário, morto na comunidade há seis anos atrás, contará também com aulas de yoga para os idosos, alongamento, aula de futebol e esportes variados, dança, etc.
Aulas de marketing digital, mercado financeiro e gestão comercial também fazem parte dos planos do jovem empresário, que recrutará cerca de 1000 pessoas da cidade de Niterói para o projeto piloto “Emprego é vida“ .

A ação faz parte do Projeto Quadra feliz, que pretende atender mais de 900 crianças do Morro da Penha, inicialmente. Posteriormente, de acordo com André Felipe, outras dez comunidades de Niterói também serão abraçadas, totalizando cerca de quatro mil crianças atendidas pelo projeto ainda neste ano de 2022.

“Este é um sonho que eu estou realizando através do Atom E-Social, que já existia no coração há muito tempo. Nós buscávamos viabilidade para poder implementar alguns projetos para as crianças carentes da cidade. Assim como lá atrás eu também era uma criança carente, morador da comunidade Morro da Penha, onde nasci e fui criado. Sai de lá com 26 anos (4 anos atrás), mas tenho um carinho enorme pela comunidade. Eu sempre vou lá. Lembro do futebol na quadra, onde tive meus primeiro contato com o esporte, das brincadeiras com os amigos, os campeonatos de Varzea…”, lembrou André Felipe.

Mas além das crianças, que darão o ponta pé inicial protagonizando um emocionante campeonato de futebol durante a inauguração do Centro Esportivo, o projeto também não deixará de fora os idosos, que já podem contar com os serviços do Instituto IPI (Instituto Pedro Irene) uma homenagem aos bisavós já falecidos de André Felipe. Ao todo, serão disponibilizados cerca de 256 atendimentos mensais para demandas de clínico geral, geriatria, fisioterapia, psicólogos, ginecologia, pediatra e outros.

“Este projeto consiste num edifício, que nós compramos no Morro da Penha mesmo e entregamos para a comunidade, com o objetivo de ajudar idosos da localidade com uma clínica social que nós montamos. E esse é só o começo de um grande projeto que estamos instalando primeiro em Niterói, posteriormente São Gonçalo e outras cidades. Tudo isso é uma iniciativa privada, sem nenhum apoio governamental”, concluiu o empresário sobre a ação, que surgiu da necessidade que ele sente de retribuir socialmente as pessoas da comunidade onde cresceu, mostrando que é possível vencer na vida mesmo com as dificuldades.

Sobre a inauguração
O evento acontecerá neste sábado, 05, à partir das 9h, marcando a primeira edição do “Morro da Penha Futsal Cup”. A programação, gratuita para todas as idades, também contará brincadeiras, lanches, premiações e até música ao vivo comandada pela banda niteroiense “Gravina”.

Além do evento, André Felipe também garantiu obras de melhorias na infraestrutura do local e nos principais acessos da comunidade.

Sobre André Felipe

André Felipe tem 30 anos e nasceu em Niterói, no Bairro da Ponta D’Areia, Morro da Penha. Uma comunidade bem pobre, onde começou a dar seus primeiros e tímidos passos no mercado dos investimentos. “Eu estudava 14 horas por dia sem interrupção, numa mesa com abajur e um computador que não desligava da tomada. Fiz cerca de 130 cadernos de anotações. Estudava pelo youtube, com vídeos gratuitos, porque eu não tinha dinheiro nenhum. Trabalhava como motorista de carros de aplicativo pela manhã, estudava a tarde até a noite, dormia quatro horas e começava toda a rotina de novo. Durante nove meses repeti esse processo todo, que começou quando coloquei no Google ‘Quero fazer qualquer coisa que dê dinheiro, sem ter dinheiro para investir’, e daí comecei todos esses estudos”, lembrou.

E continuou: “Nós nascemos pobres demais, eu nunca estive no mercado financeiro, mas fiquei o ano de 2017 todo estudando. Estudei incansavelmente, fiz tudo quanto é curso e as coisas começaram a acontecer. Mudou a nossa vida o mercado financeiro, formado em logística e pós graduado em gestão da cadeia de suprimentos, o jovem é altamente arrojado em negócios . Eu criei alguns cursos, já cheguei a mais de cinco mil alunos mentorados. E hoje estruturamos uma empresa com mais de 500 funcionários, 11 escritórios. Estamos indo para outros 6 estados no vazio e mais 2 países no exterior também ainda esse ano, em Dubai e Miami”, finalizou.
No plano de negócios estão ainda cerca de 3000 postos de emprego ainda esse ano no estado do Rio de Janeiro.